a
HomeCircuito CinemaHARE KRISHNA! O Mantra, o Movimento e o Swami que começou tudo.

HARE KRISHNA! O Mantra, o Movimento e o Swami que começou tudo.

HARE KRISHNA! O Mantra, o Movimento e o Swami que começou tudo.

“HARE KRISHNA! O Mantra, o Movimento e o Swami que começou tudo”, premiado documentário estreia dia 10 de maio em circuito nacional.

HARE KRISHNA! O Mantra, o Movimento e o Swami que começou tudo”, premiado documentário do diretor norte-americano John Griesser, sobre a trajetória de Srila Prabhupada, revolucionário cultural,estreia dia 10 de maio em circuito nacional. O documentário ganhou o prêmio de Melhor Filme no Illuminate Film Festival – no Arizona 2017. A Cinépolis é a distribuidora que lançará o filme no Rio, São Paulo, Curitiba, Natal, Fortaleza, Salvador, Manaus, Belém, São Luís, Teresina, João Pessoa, Jaboatão dos Guararapes, São José, Uberlândia, Ribeirão Preto, Sorocaba e Guarulhos
O filme retrata a vida de Srila Prabhupada - o Swami, indiano de 70 anos de idade, que chegou num cargueiro, sem recursos financeiros ou contatos, em Nova Iorque, em meio à turbulenta década de 1960, e que se tornaria um dos principais agentes de um imenso fenômeno cultural do século XX. "Hare Krishna!" traz arquivos inéditos, gravações de áudio do próprio Prabhupada e entrevistas com seus primeiros seguidores, além de muitos registros dos anos 60 e 70, auge da contracultura. O documentário fez parte do grupo de 170 produções que estavam aptas a concorrer a uma das cinco vagas no Oscar 2018.
  
O documentário apresenta os bastidores do movimento cultural nascido na cena artística e intelectual, no Bowery de Nova York e na meca hippie de Haight-Ashbury de São Francisco, passando pela beatlemania de Londres. Mostra como George Harrison ajudou a lançar um single com o mantra do movimento Hare pelo selo dos Beatles. O canto de um mantra rítmico e meditativo de 16 palavras - “ Hare Krishna, Hare Krishna, Krishna Krishna, Hare Hare, Hare Rama, Hare Rama, Rama Rama, Hare Hare”. George gravou com os primeiros devotos em Londres o mantra em um compacto pela Apple Records, tornando esta milenar meditação em um hit na Inglaterra. Posteriormente, seu sucesso solo “My Sweet Lord” apresentou o canto de "Hare Krishna" para todo o planeta, sendo considerado, inclusive, uma das músicas mais icônicas da época. A partir daí o movimento de Prabhupada explodiu definitivamente, e seus seguidores -“ agora conhecidos como os Hare Krishnas “ ficam famosos por cantarem e dançarem nas ruas, estando presentes em todos os principais grandes fatos culturais da década, festivais de música, filmes e manifestações.
  
O diretor John Griesser se aproximou pela primeira vez de Srila Prabhupada, em 1970, na Índia. “Eu quero fazer um documentário sobre sua vida”, disse John a Prabhupada. O líder do movimento respondeu: “Isto não é importante”. John insistiu até ter sua aprovação, a partir daí acompanhou o Swami por todo mundo: EUA, Europa e Índia, foram alguns dos locais onde John registrou imagens das viagens do líder. Não foi tarefa fácil acompanhá-lo, segundo John,Prabhupada não gostava de falar sobre si mesmo. ” 
  
O documentário levou quatro anos de pesquisa para ser finalizado. John, assistido por sua esposa Jean, garimpou mais de 31 horas de filme que fez durante toda sua convivência com Srila Prabhupada – o Swami, até mesmo nos momentos finais do líder do movimento Hare Krishna. John esteve nos anos 80 no Rio e na comunidade Hare Nova Gokula, em Pindamonhangaba, em SP, e estes registros no Brasil fazem parte do vasto acervo de imagens do filme. Até mesmo imagens e relatos sobre a ação contra o movimento na Suprema Corte de Nova York, da qual o movimento foi vencedor, estão incluídos no documentário. Também cenas de show feito na Califórnia para levantar fundo para o movimento com a participação de Janis Joplin e Grateful Dead.

HARE KRISHNA! O Mantra, o Movimento e o Swami que começou tudo”, was offically selected by the following film festivalRishikesh InternaTional Film Festival 2018, Maui Film Festival 2017Awareness Festival 2017, Spirit Film Festival 2017, MOSTRA Film Festival 2018

A produção já é um sucesso independente: lançado em 100 cinemas nos EUA, em 2017, e em 350 theaters in  Índia, Rússia, Ucrânia, Canadá, Lithuania, Austrália, Africa do Sul, Singapore, and Mauritius

Na América Latina, começou com 53 cinemas no México em 23 de março, seguido pela Argentina, Costa Rica, Guatemala, Chile, Panamá, Peru, El Salvador, Honduras, Colombia no dia 5 de abril...
O documentário apresenta depoimentos de vários seguidores inseridos na vida cotidiana que fogem do perfil estereotipado dos Hares. Homens e mulheres que são inseridos na sociedade moderna.
Momento histórico
O ano de 1965 foi um dos mais revolucionários da história do mundo moderno. Com intensas transformações políticas, sociais, comportamentais e culturais, o planeta viu uma verdadeira explosão technicolor tomar conta da música, das vitrines, filmes e passeatas, arrebatando a juventude de forma pouco antes vista. Em um cenário que ganharia ainda mais força e explodiria com flores e incensos em todo o imaginário de uma geração, desembarca nos EUA um idoso Swami indiano, sem recursos financeiros, saúde limitada e idade avançada, que se tornaria um dos principais agentes de um imenso fenômeno cultural do século XX. Não há como se referir aquela geração sem mencionar as palavras "Hare Krishna". E o mundo nunca mais foi o mesmo.

Encontrando-se subitamente no auge da contracultura, Prabhupada fala sobre a verdadeira necessidade do mundo, que não é plenamente satisfeita por revoluções políticas ou sociais, mas por uma revolução da consciência. Esta divergência do status quo captura com êxito a atenção de uma geração de jovens em busca de respostas às questões existenciais da vida. Em uma lojinha na Segunda Avenida, nº 26, na cidade de Nova York, Prabhupada compartilha com eles a ideia de que, para encontrar a verdadeira felicidade, o amor e a liberdade, é preciso procurar internamente e conectar-se com seu “eu” verdadeiro. O interesse crescente pelas “coisas do oriente” encontra em Prabhupada um mestre autêntico, profundo conhecedor da cultura espiritual ancestral da Índia e sua prática conhecida como bhakti-yoga, o “yoga da devoção.

Legado

A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada faleceu em 14 de novembro de 1977. Em apenas 12 anos, deu a volta ao mundo 14 vezes, fundou 108 templos e comunidades agrí­colas em seis continentes, viu 60 milhões dos seus livros serem distribuí­dos em 25 idiomas, e implantou a bhakti-yoga em todo o mundo de forma pioneira e sólida. Atualmente, já são 820 templos, comunidades agrí­colas, restaurantes, escolas e faculdades, 520 milhões de livros distribuí­dos em 87 idiomas e 3 bilhões de refeições vegetarianas distribuídas pelo programa Alimentos Para a Vida, também fundado por ele. Com o documentário, Prabhupada prepara-se para dar sua 15ª volta ao redor do planeta, mostrando que segue muito vivo o sonho de uma humanidade consciente de seu verdadeiro propósito.
John declarou:  “Três coisas que eu senti nas pessoas depois de assistir a este filme: Inspiração, um sentimento de alegria e felicidade e esperança para o futuro. ”

Em todas as sessões serão distribuídas flores e livros do movimento.

Ficha técnica:

 Diretor: John Griesser

Codiretores: Jean Griesser & Lauren Ross

Roteirista: Jean Griesser

Produtores: Lauren Ross, Coralie Tapper e Jessica Heinrich

Editores: Krishna Sanchez, Lauren Ross e Hilarie Zakheim

Câmeras: Adric Watson (Índia) e Krishna Sanchez (EUA)

Produtora Inner Voice Productions

Duração: 90 minutos

Diretor

 John Griesser é sócio fundador e diretor executivo da Inner Voice Productions. Como diretor executivo, ele supervisiona toda a lista de produção da empresa, juntamente com o financiamento e a divulgação de projetos.

John dirigiu, executivo produziu e editou o mais recente documentário do IVP, Hare Krishna! O mantra, o movimento e o Swami que começou tudo.

Ele é um diretor de cinema americano, diretor de fotografia e fotógrafo cujo trabalho se estende por quase 50 anos. Ele é mais conhecido por seu trabalho documental em capturar as culturas espirituais e tradicionais únicas da Índia, começando com seu documentário premiado em 1978, Vrindavan: Land of Krishna.

Filmografia:

1974 -HARE KRISHNA PEOPLE

1975 – THE SPIRITUAL FRONTIER

1976 – BRILLIANT AS THE SUN

1977 – SPARK OF LIFE

1978 – VRINDAVAN – LAND OF KRISHNA

1981 – WORLD OF HARE KRISHNA

1983 – YOUR EVER WELL-WISHER

1986 – THE GOLDEN AVATAR 

2002 /2009 – FOLLOWING SRILA PRABHUPADA, a 31 hour, 11 DVD series. 

2013 /2018- HARE KRISHNA! O Mantra, o Movimento e o Swami que começou tudo”

Codiretora

Jean Griesser é uma das fundadoras da Inner Voice Productions. Ela escreveu e aconselhou sobre a produção do mais recente documentário do IVP, Hare Krishna! O mantra, o movimento e o Swami que começou tudo.

Jean trabalha como consultora de produção e roteirista de IVP.

Como fotógrafa, escritora e cineasta premiada, Jean produziu mais de 150 ensaios escritos e fotográficos, além de inúmeros livros, um dos quais ganhou o Independent Publisher Book Award em 2011.

A produtora Inner Voice Productions (IVP)

É uma produtora de filmes, televisão e multimídia sem fins lucrativos. O IVP é dirigido pelos cineastas veteranos John Griesser e Jean Griesser, que nos últimos 40 anos dirigiram, produziram e publicaram uma infinidade de filmes e literatura premiados.

A IVP é uma empresa com sede nos EUA e atualmente opera na Flórida.


Assessoria de imprensa

pp



Compartilhe com:
Quanto vale este artigo?

Natural de Brasília, carioca de coração. Artista Plástica, desenhista, poetisa e fotógrafa. Começou cedo nas artes, fazendo caricaturas dos amigos ainda no Colegial, fez desenho livre no Oberg Cursos de Desenho e seus quadros seguem o realismo, tendo como mestres Edward Hopper, Gustave Caillebotte e Amadeo Modigliani. Em sua estante tem biografias como de Walt Disney, Victor Hugo e Tony Blair entre outros que fizeram história. Na fotografia desde 2005, fez revelação de fotos em laboratório, época da fotografia Analógica, se rendeu a era digital tendo fotos publicadas em sítios de fotógrafos como o site Olhares e o Fine Art, ambos tendo autores portugueses em sua maioria e participou de muitos Workshops desde então, sendo um deles ministrado pelo grande fotógrafo português Manuel Madeira. Como boa pisciana, arrisca algumas poesias, tendo algumas publicadas no site “Pensador”. Fez exposições de seus quadros em 2014. Se define como amante das artes e dispara que nada sabe, o aprender acontece todos os dias. Colaboradora de vários sites de mídias, com trabalhos publicados em muitos lugares de destaque.

[email protected]

Comentários
  • Estou ansiosa pela estreia!

    01/05/2018

Deixe um comentário