Sobre o Cidade da Mídia
a
HomeVocê Sabia?MGM e seus leões mascotes.

MGM e seus leões mascotes.

MGM e seus leões mascotes.

Vocês sabiam que os estúdios da Metro-Goldwyn-Mayer estrelaram vários mascotes em suas aberturas?
Vamos conhecê-los?
Slats foi o primeiro leão criado logo após a fusão das empresas dos fundadores.
Ele nasceu no Zoológico de Dublin, na Irlanda do Sul em 20 de março de 1919.O logotipo original foi desenhado por Howard Dietz e usado pela Goldwyn Pictures Corporation entre 1916 e 1924.

mgm

Slats, leão da MGM (1916 e 1924)/ foto:MGM


Segundo leão: 1922-1924

Houve um segundo leão utilizado pela Goldwyn pictures entre 1922 e 1924, ele diferentemente de Slates dava dois grunhidinhos e ficava olhando para os lados, mas como era a época do cinema mudo não se escutava nada.


Os primeiros filmes da MGM que usaram o logotipo foi He Who Gets Slapped (1924). Dietz afirmou que decidiu usar um leão como mascote do estúdio como um tributo à Universidade de Columbia, cujo apelido das equipes esportivas é “The Lions”, tendo ele acrescentado que a inspiração para fazer o rugido do leão veio da canção-grito de Guerra da Columbia, “Roar, Lion, Roar”.Slats foi utilizado em todos os filmes em preto-e-branco da MGM entre 1924 e 1928 e foi treinado por Volney Phifer a rosnar em vez de rugir (embora no logotipo ele não faça nada, apenas olha ao redor).

Nos dois anos seguintes o leão fez uma turnê com os promotores da MGM para publicitar lançamento do estúdio. Slats morreu em 1936. Sua pele está atualmente exposta no McPherson Museum em McPherson, Kansas.


Making of MGM Lion Logos (7)

Jackie e o treinador Volney Phifer (1928)/foto:MGM

Jackie: 1928-1956

Segundo leão utilizado no logotipo da MGM. Jackie era quase idêntico a Slats, seu antecessor. Ele também foi o primeiro leão da MGM cujo rugido foi ouvido pelo público na época do cinema mudo, tendo sido usado um aparelho de gramofone nas exibições. Jackie resmungava baixinho, o que era seguido por um alto rosnado, uma breve pausa e, em seguida um grunhido final, antes de olhar para o lado. Nos primeiros anos que esse logotipo foi utilizado (1928-c.1932), houve uma versão ligeiramente ampliada do logotipo, no qual, depois de rosnar, o leão olhava para um lado e voltava seu olhar para a frente um segundo mais tarde. Jackie apareceu em todos os filmes em preto-e-branco da MGM entre 1928 e 1956, bem como em uma tonalidade sépia (usado, por exemplo, na abertura de O Mágico de Oz(1939).

Making of MGM Lion Logos (6)

Greta Garbo e Jackie (1929)/ foto:MGM


Telly: 1928-1932

A MGM começou a realizar experimentos com curtas-metragens em duas cores em 1927 e com desenhos animados em 1930. Duas variações do logotipo da MGM em Technicolor (two-trip) foram criados para os primeiros filmes da MGM em cor, com dois leões diferentes sendo utilizados. O primeiro leão, conhecido como “Telly”, apareceu em todos os filmes em cores da MGM até 1932.
Coffee: 1932-1934
O segundo leão, conhecido como “Coffee”, fez sua estreia em 1932, aparecendo em filmes coloridos até 1934 (e 1935 para os curtas de Happy Harmonies), quando a produção foi mudada para filmar em Tecnicolor (three-trip). O filme de 1934 The Cat and the Fiddle teve uma breve sequência de cores, mas na outra metade do era em preto-e-branco (incluindo os seus créditos de abertura); Jackie foi usada no lugar de Coffee.


George: 1956-1958
O sétimo leão, oficialmente chamado George, foi introduzido em 1956, e foi mais modificado que seus antecessores e seu leão subsequente. Duas versões diferentes do logotipo foram utilizadas, uma com o rugido do leão para a direita da tela e, em seguida, rugindo para a câmera; a outra com o leão rugindo duas vezes para a direita da tela.


leo-the-lion

Leo, o 9º leão, é o leão de vida mais longa da MGM, tendo aparecido em todos os filmes da MGM desde 1957. Ele tem uma juba menor do que outros antecessores.

Leo foi comprado do famoso comerciante de animais Henry Trefflich e foi treinado por Ralph Helfer. Duas versões diferentes do logotipo foram utilizadas, uma com o leão rugindo três vezes (usado entre 1957 e 1960), e outra com o leão rugindo duas vezes, usado desde 1960. Três filmes da MGM, Raintree County(1957), Ben-Hur(1959), e Mutiny on the Bounty(1962), utilizaram uma variação de quadros no logotipo, com o rugido do leão adicionado à música de fundo.

tumblr_mo9015OQEY1rfwgi2o1_500

Leo e o treinador Ralph Helfer (1957)/ foto:MGM

Um logotipo diferente, com uma imagem circular gráfica de um leão, conhecida como ” The Stylized Lion “, apareceu em três filmes em 1960:Grand Prix (1966), ‘ ‘2001: Uma Odisséia no Espaço (1968), e The Subject Was Roses (1968).

O tradicional logotipo foi re-introduzido e o estilizado foi abandonado. Essa mesma imagem estilizada, no entanto, foi mantida pela MGM Records, sendo que também foi usada como logotipo secundário em cartazes de cinema da MGM, além de ser mostrado no final de rolos de crédito após a maioria dos lançamentos de filmes MGM deste período. Mais tarde foi usado pela MGM Grand Hotel and Casino.

Em The Pink Panther (2006), estrelado por Steve Martin, com um logotipo de cor de rosa, Leo começa a rugir, mas é interrompido pelo Inspetor Clouseau, que abre o círculo do logotipo como se fosse uma porta, olhando ao redor do local antes de sair.

 

 

Compartilhe:
Quanto vale esse artigo

Natural de Brasília, carioca de coração. Artista Plástica, desenhista, poetisa e fotógrafa. Começou cedo nas artes, fazendo caricaturas dos amigos ainda no Colegial, fez desenho livre no Oberg Cursos de Desenho e seus quadros seguem o realismo, tendo como mestres Edward Hopper, Gustave Caillebotte e Amadeo Modigliani. Em sua estante tem biografias como de Walt Disney, Victor Hugo e Tony Blair entre outros que fizeram história. Na fotografia desde 2005, fez revelação de fotos em laboratório, época da fotografia Analógica, se rendeu a era digital tendo fotos publicadas em sítios de fotógrafos como o site Olhares e o Fine Art, ambos tendo autores portugueses em sua maioria e participou de muitos Workshops desde então, sendo um deles ministrado pelo grande fotógrafo português Manuel Madeira. Como boa pisciana, arrisca algumas poesias, tendo algumas publicadas no site “Pensador”. Fez exposições de seus quadros em 2014. Se define como amante das artes e dispara que nada sabe, o aprender acontece todos os dias. Colaboradora de vários sites de mídias, com trabalhos publicados em muitos lugares de destaque.

sanny@cidadedamidia.com.br

Comentários
  • OTIMA MATERIA. MUITO LEGAL.

    06/07/2016
    • Obrigada nosso amigo César, voltei sempre!

      07/07/2016

Deixe um comentário